10 Razões porque o Japão é imperdível

Tem de tudo um pouco

Me preparando para minha terceira viagem consecutiva para o Japão, as pessoas vivem me perguntando: Porquê o Japão; ou melhor ainda, Porque só o Japão. Minha esposa desenvolveu uma técnica única para lidar com esta pergunta e não ter que se incomodar: "porque eu gosto". Claro, isto é óbvio, mas na verdade, eu mesmo me pergunto: Porque só o Japão? Passei a estudar o país só para descobrir o que nos atrai tanto, e o que fez um casal de amigos nossos decidir em voltar ao Japão conosco nesta terceira viagem (depois de ir na primeira) entrando para o hall de pessoas que vão mais de uma vez para este país. Aqui estão 10 razões de porque você não deve perder a chance de conhecer este país.

1. Tem um pouco de tudo

Existem vários tipos de turismo, sendo os mais claros os seguintes: aventura/exótico, cultural, eco-turismo, relaxamento, religioso/místico, compras, modernidade e/ou primeiro mundo (ou, inversamente, para quem já mora no primeiro mundo, querer conhecer os países em desenvolvimento) e histórico. Também tem, claro, o turismo para conhecer lugares famosos.

O japão oferece muito de todos os tipos de turismo, e eu poderia preencher várias páginas apenas citando o nome de cada lugar que se encaixa muito bem em cada perfil. Com 70% da área montanhosa e 60% florestal (sim, o Japão é um país extremamente verde e natural), o país oferece trilhas, hiking, ski, áreas de aventura tropical, sub-tropical, neve, centros culturais cosmopolitas ou orientais, centros gourmet, mais de 30 áreas tombadas como patrimônio histórico, centenas de áreas com templos ou jardins sagrados graças a convivência de 2 religiões (Budismo e Xintoísmo - mas eu visitei também "templos" católicos!), além de ser um centro de modernidade e exportação tecnológica. Sua história também data tão longe quanto qualquer país europeu, sendo muito menos conhecido que os mesmos. Não importa o que você esteja procurando em sua viagem: o Japão tem, e muito.

2. Paisagens e natureza impressionantes

Paisagens

Algo que muita gente não sabe é que o Japão é um país muito verde, muito cheio de natureza em todo lugar, e os Japoneses dão muito valor à natureza. Tokyo, uma das maiores cidades do mundo (em 2014, ainda a maior metrópole mundial), tem mais área verdes do que qualquer outra metrópole (mais do que Nova York, ou São Paulo, por exemplo) - e não são áreas simplesmente "verdes", mas sim multi-coloridas. Os parques (e jardins - há uma diferença. Parque é feito para as pessoas se concentrarem, Jardins para a natureza) Japoneses são mundialmente conhecidos por sua meticulosidade, cuidado aos detalhes, e variedade. Vários jardins são bolados para terem flores durante todo o ano, em todas as estações. E, claro, não podemos deixar de citar que os Japoneses são experts em criar Jardins que misturam não só a vegetação, mas também os minerais. Jardins de pedra, alguns só de pedra, são comuns.

Tudo isto no meio de cidades modernas, limpas e cheias de arquitetura bela, tornam os arredores destes lugares ainda mais belos - e a meros 10 minutos de trem bala, você está fora da área urbana e no meio da floresta, no meio de vilas seculares mas não menos preservadas, limpas e cuidadosamente mantidas. O Xintoísmo, uma das duas religiões "simbióticas" do país, exige um cuidado especial com a natureza.

3. Cultura sem igual.

Cultura sem igualNo ocidente todo mundo esta até o pescoço de cultura ocidental, principalmente a americana. Não é de se surpreender, portanto, a vontade de se conhecer os EUA ou a Europa. A verdade, no entanto, é que você já conhece. Nova York é como nos filmes, Paris é como nos filmes, até Tokyo, na verdade, é como nos filmes - exceto que você não costuma ver Tokyo tanto assim. O que muita gente não sabe, é que depois dos Americanos e sua "cultura", o Japão só perde para a Coréia do Sul em exportação cultural! Desde a cultura milenar até a pop atual, existe um pouco para todos, e a cultura e identidade do Japonês é tão variada e exótica, que surpreende até quem já conhece (por exemplo, o Japão investe mais em desenhos e quadrinhos, do que os Americanos em Cinema!). Some isto ao fato de se tratar de um país realmente desenvolvido, com amplo suporte para preservação de seus patrimônios e a criação e manutenção de museus e áreas culturais, e você tem um centro cultural sem igual - e você nem precisa realmente procurar, pois a cultura exótica e diferente esta nas ruas, basta passear e você vai se esbaldar em um povo totalmente diferente do europeu ou americano - ou sul americano.

4. O moderno, o religioso, o místico e o passado.

Moderno, místico, religioso, nostálgicoNenhum pais consegue misturar tantas características ao mesmo tempo: Ruas "inteligentes" com mini-painéis-solares no chão e nos postes para acender leds durante a noite; tecnologia de ponta em todo lugar, até no vaso sanitário que você senta, em meio a templos milenares, festivais culturais, árvores seculares e uma religião que dá ênfase na natureza e no místico. Não importa onde você esteja no Japão, você se sente ao mesmo tempo em um lugar do futuro, cheio de gadgets, leds e LCD, e antigo, com muita madeira, papel, natureza e tradição. Esta sensação é contagiante, relaxante, e certamente inesquecível.

5. Turismo único: infraestrutura e tradição.

O Japão também é um dos poucos países onde se visita não por causa de um local famoso, história importante ou aventura marcante, mas por causa de algo que a sociedade obteve e mantém graças a seu povo único: O sistema de transporte público do Japão, com ou sem o Shinkansen (Trem-bala), curiosamente atrai centenas de turistas! Só para isto, só para conhecer o que é um sistema de transporte quase perfeito - seguro, pontual, limpo, moderno. Em 2010, a média de "atraso" na saída e chegada dos Shinkansen nas estações bateu o recorde mais baixo em anos: 6 segundos. Sim, 6 segundos foi o tempo médio de atraso de todos os Shinkansen durante o ano todo! Isto ilustra a disciplina, profissionalismo e modernidade deste país de tantos opostos.

Infraestrutura e modernidade

Mas não é só o sistema de transporte e seu trem fascinante que atrai multidões: O tradicional Hanami, "observação das flores", que ocorre no final de março e começo de Abril (primavera) no Japão, é mundialmente famoso. É quando as cerejeiras e outras árvores florescem e transformam as cidades, vilas, vales e florestas em um grande campo de flores onde as pessoas fazem pic-nics com amigos e familiares em uma grande celebração de vida e natureza. Diversos parques e jardins em todo o país, em todas as cidades, são dedicados apenas para estes poucos dias, mantendo toda a natureza cuidadosamente preparada para maximizar o impacto das belas cerejeiras. Multidões dentro do Japão viajam neste país com o maior turismo interno do mundo para visitar os diferentes pontos de observação de flores. E, claro, os turistas externos não poderiam deixar de faltar. Só uma dica: reserve seu hotel com antecedência, pois no Hanami, as vagas se esgotam com quase um ano de antecedência. O Japão não é o único lugar do mundo que tem belas primaveras, mas é onde existe a primavera mais celebrada do mundo.

E continua: O Outono também tem sua estação de flores celebrada pelo povo, e no verão os diversos festivais celebram um país que, apesar de devastado a pouco mais de 60 anos, celebra a vida como nenhum outro (talvez até por isso). E os festivais não são sobre mulher pelada, samba ou carros alegóricos coloridos, mas sim sobre aspectos culturais ou religiosos, celebrações de vida ou morte, de Deuses ou Espíritos, ou simplesmente de cerejeiras ou pessegueiras. Só vendo para entender.

6. Um povo sem igual.

Muita gente tem na mente o esteriótipo típico do Japonês: fechado, sério, disciplinado. Até o último, erraram. O Japonês é extremamente aberto, idolatra sem igual o diferente e os extrangeiros, abrem sorrisos por nada, riem sozinhos, e se deliciam em observar o que não entendem. São curiosos, são apaixonados. O casal de velhinhos no restaurante típico não poderia ser mais simpático ao observar os 4 turistas desajeitados e provavelmente sem educação na mesa ao lado, mas quando estes turistas parecem ter problema para chamar a atenção do garçom, o senhor abre um sorriso, como se deliciando com a cena, e chama o garçom para eles. Estes 4 turistas são eu, minha esposa e um casal de amigos, e eu observei os "Japoneses Seniors" com o canto do olho por um bom tempo, enquanto eles nos observavam.

Povo fantástico Os Japoneses são assim, sempre prontos para ajudar: no templo em Kyoto, quando estou me preparando para tirar uma foto dos 3 companheiros de viagem, surge do nada 4 colegiais lutando entre si para ver quem vai chamar minha atenção primeiro para perguntar se eu quero que tire uma foto nossa; Em um jardim pacato em Arashiyama, um senhor com uma jovem em roupa típica do nada se aproxima de mim e quase pega a máquina de minhas mãos e diz em um inglês desajeitado que quer tirar uma foto nossa - e tira muito bem. O garçom adolescente de um restaurante pomposo em um local histórico arrisca um português, pergunta como se diz isto ou aquilo, e não deixa de mencionar o futebol; o guarda da estação de metro, ao ver que o turista burro passou pela catraca e não pegou o ticket de retorno, não dispara alarmes ou apitos, mas chama a atenção com gestos, corre até a catraca eletrônica, abre e pega o ticket que já foi engolido, e mostra como se deve pegar o ticket de retorno quando passa, tudo com um sorriso no rosto, sem stress, sem preocupação. O fiscal da imigração ri muito com o turista que não consegue colocar o dedo no lugar certo do leitor de digital; Um funcionário do metrô nota os turistas novatos e vem oferecer informação, me leva quase na mão até o guichê de venda, fica na fila comigo (enquanto outros Japoneses, sabendo que ele é um funcionário, param para pedir informações), e depois de quase 5 minutos na fila (uma ETERNIDADE no Japão) pede exatamente o que eu preciso no caixa, e me leva de volta até a plataforma. 

E tudo funciona, e você tem ajuda para tudo, todo mundo sorri, e olha que mesmo assim, com os ignorantes turistas, o trem sai no horário, não existem acidentes, e a segurança? ah ... a segurança ...

7. Finalmente você vai saber o que é relaxar.

Paz e segurançaVocê acha que sabe o que é relaxar, mas você nunca - jamais - vai saber o que é relaxar até estar em solo Japonês. Com taxa criminal quase zero, com taxa de homicídio zero, e com sem teto desempregados que dormem ao som de um iPod (pois é) e não incomodam ninguém mesmo na Tokyo Station ou Kyoto Station, no Japão é o único lugar onde você literalmente não precisa se preocupar com nada. Pode deixar sua carteira cheia de dinheiro em cima da mesa e ir pegar mais um café, pode não se preocupar com a bolsa no meio da rua cheia de gente, pode andar de madrugada nas ruas sombrias da capital (ok, talvez não lá por Roppongi, mas ai é exagero, ainda assim o perido são quem enche a cara), você não tem absolutamente um músculo tenso em seu corpo. Aquela preocupação que você tinha em não ser compreendido, ou algo ser muito difícil? não há ... é tudo tão fácil, tão automático, e a ajuda está tão perto (veja isso↗)  que se preocupar é ridículo! E você só vai reparar que relaxou completamente quando estiver no vôo de volta, e se lembrar do Brasil, e começar a esconder a carteira e segurar sua bolsa mais perto do corpo mesmo ainda dentro do avião.

Em 2015, segundo a BBC (e The Economist Intelligence Unit)↗, as duas cidades mais seguras do mundo são Japonesas: Tokyo e Osaka!

8. Existe primeiro mundo ... e lá adiante na escala ... o Japão.

Uma coisa é dizer que o Japão é o país mais desenvolvido do mundo. Eu poderia citar aqui que ele está entre os países com maior i-HDI e HDI, e mesmo com a crise mundial tendo atingido o Japão em cheio, eles ainda se mantem nos top 5. Outra é lembrar que além de tudo isso, eles tem a menor criminalidade, maior segurança, melhor sistema de saúde (que, pasme, vale para extrangeiro enquanto em solo Japonês, tem até hospital com equipe dedicada em Inglês), melhor sistema de transporte, maior avanço em todas as áreas tecnológicas, povo mais simpático e todo o histórico, cultura, beleza e natureza que eu já citei. Pelos números, você pode - talvez, equiparar a Noruega e alguns pequenos principados ao Japão. Mas se você somar tudo isto, não há nada igual. 

E caro leitor e leitora, depois que você conhece o que há de melhor no planeta, você vai se perguntar ...

9. Porque gastar tempo e dinheiro com algo inevitavelmente inferior?

Tudo bem, você tem curiosidade de conhecer pessoalmente os EUA que tanto vê na televisão, quer ver Versailles e a torre Eifel, o metrô Inglês (the Tube!), os castelos Espanhóis e Franceses, talvez até se aventurar no berço (e vespeiro) da civilização do oriente médio. Um safari pela África talvez? não importa, qualquer que seja o outro ponto turístico ou de interesse que você escolher, ele vai ter só aquele ponto de interesse, e não TUDO que você poderia ter em um arquipélago de 377mil Km². Diante do Japão, tudo é um grande safari humano. 

10. E não tem fim!

E com tanta coisa linda, misteriosa, histórica e cultural ainda para conhecer neste país fantástico, que pode preencher listas e mais listas de pontos, como por exemplo o circuito dos 88 templos↗, as 3 visões do Japão↗, o tropical↗ e o temperado↗, as 18 áreas de patrimônio histórico↗, ou simplesmente muito, muito mais ... porque ir para outro lugar? você pode passar a vida no Japão e não conhecer tudo que ele oferece para enriquecer sua vida - talvez seja por isso que seja o país com maior turismo interno: Nem mesmo Japonês consegue conhecer todo o Japão!

Preciso realmente dizer "porque eu gosto", ou não é um país que merece ser visitado vez atras de vez?

 

Abaixo, mapa do Japão com meus locais de interesse/prediletos. Estrelas já visitei, Losangos já visitei parcial, pinos não visitei.

Tipos de interesse: Azul = mar/praias/ilhas, Verde = Natureza/templos/tradicional, Vermelho = Modernidade/tecnologia, Branco = Natureza/Neve. Demais cores são misturas (ex.: ciano = azul+verde, verde claro = verde + branco)

Adendo para os críticos

Recebi algumas críticas sobre este artigo de alguns raríssimos Brasileiros que moram no Japão e discordam de alguns pontos. É curioso notar que praticamente todas as pessoas que tem alguma má experiência em relação ao Japão são imigrantes temporários que vão trabalhar em fábricas ou trabalhos manuais, vivem em subúrbios e/ou alojamentos para estrangeiros, e por livre e espontânea vontade trabalham cargas horárias elevadas para ganhar um bom dinheiro antes de voltar ao Brasil. Pois, nestas condições, como culpar que sejam má vistos pelos Japoneses? Imigrantes raramente são. O Brasileiro também é conhecido mundialmente por ser bagunceiro, barulhento e - infelizmente - adorar resolver as coisas com "jeitinho", sem contar que quem vai para outro país para trabalhar, raramente se preocupa em tentar entender a cultura e língua do país que estão indo (já vi gente que morou mais de um ano no Japão, achando que uma ou outra palavras em japonês tinham um significado totalmente errado!). As pessoas não perdem um segundo para entender a cultura do país onde estão, e estão prontos à atirar pau e pedra contra o que não entendem ou quando não são compreendidos. Então, leitores, lembrem-se sempre de dois detalhes para o verdadeiro ser globalizado e cosmopolita: primeiro, ao que se faz o que se recebe. Se você não for educado e simpático, não espere o mesmo de ninguém em lugar algum do mundo; e segundo, turistas são sempre tratados de forma diferente de imigrantes, até no mesmo país (quando eu me mudei para Joinville, Brasil, eu passei duas semanas ANTES como turista e achei tudo muito legal e um povo educado. Depois de me mudar, todo mundo que sabia que eu não era turista, era de uma má vontade sem noção).